E aí, galera, eu sou o Marcus Lazaro e vou trazer para vocês, aqui no site do Nerdista, uma visão um tanto peculiar sobre o mundo dos filmes, em especial os filmes nerds. Se preparem para muitos achismos e opiniões sem noção.

Assine nossa lista de e-mails para ter novidades nerds de alta qualidade, imediatamente, assim que forem postadas

Quando eu vi o “”Deadpool”” (sim, com muitas aspas), pela primeira vez na telona, todo zoado e diferente do personagem das HQ’s, eu nunca imaginei que pudesse ser feita uma adaptação que respeitasse sua história. Com o desenvolvimento do MCU (Marvel Cinematic Universe) e toda sua pegada mais de boa de filmes para toda família e como aquilo vem dando certo, eu passei a ter certeza que um personagem como o Deadpool dificilmente seria adaptado como se deve.

deadpool ponte

Ainda bem que eu estava enganado, né? Ryan Reynolds era um dos atores mais odiados por fãs de quadrinhos, por ter feito parte do elenco de bombas como o filme solo do Wolverine, Lanterna Verde, Blade Trinity e R.I.P.D – Agentes do Além. Por conta disso, era meio lógico ele estar em descrédito com os nerds. Só que como ele mesmo já disse, o Deadpool foi um personagem que chamou atenção dele e que tinha potencial para um filme diferente do que estávamos acostumados, diferente da Fox, que recusou produzir o filme proposto pelo ator e o aspirante a diretor Tim Miller.

E como eles poderiam mudar essa situação? Claro, usando a Internet. Depois de produzirem uma sequência toda em CGI para apresentar ao estúdio, terminando com o projeto sendo engavetado, o vídeo simplesmente “vazou”. Pronto. Isso foi o bastante para deixar os navegantes zoeiros dessa rede mundial de computadores polvorosos. E não foi preciso muito mais que isso para que a Fox voltasse atrás e desse carta branca ao projeto, mesmo com um orçamento modesto, tendo em vista o quanto custa um filme de super-herói hoje em dia.

deadpool olhar

A partir daí, foram várias fotos de bastidores; uma estratégia de marketing totalmente inusitada e ousada, condizente com o personagem e muita ansiedade por esse que poderia ser o filme a revolucionar a maneira como assistir a produções desse gênero. Deadpool estreou no dia 11/02 e, contrariando os pessimistas, já figura entre os filmes de heróis que mais arrecadaram em seu fim de semana de estreia.

Caso você ainda não tenha assistido ao filme ou sequer conhece o personagem, e esteja se perguntando o motivo desse hype todo, eu te digo: DEADPOOL É TRANSGRESSOR!

deadpool cagando

Estamos vivendo numa época extremamente chata, sendo patrulhados a todo momento, onde qualquer coisa, por mais pequena que seja, pode ser motivo para grandes alardes. E isso afeta tudo, incluindo o cinema, nos trazendo as grandes redes exibidoras filmes cada vez mais covardes. E Deadpool vem para nos mostrar que podemos rir de coisas idiotas, mesmo que elas cheguem a extremos, como algumas cenas de seu filme.

Falar que o cinema hollywoodiano visa o lucro é desnecessário. Isso todo mundo sabe. A grana move a indústria, mas cada vez mais os filmes que vão para as salas de cinema do shopping perto da sua casa são feitos buscando os mais jovens, classificações como “PG 13”, onde algumas delas acabam perdendo suas identidades por conta disso. Os estúdios acabam preferindo abranger um público maior (no caso, o infanto-juvenil) e histórias são distorcidas para que qualquer um possa ver. Para eles, é uma troca válida. Para nós, fãs, nem tanto. Claro, os mais jovens vão muito mais aos cinemas, porém isso não deveria excluir a opinião e gostos dos de maior idade, que também tem interesse em ver produções condizentes com sua faixa etária.

E a ousadia da Fox em dar sinal verde para os idealizadores desse filme, e seu repentino sucesso, pode se tornar uma esperança de que mais filmes “cagadores de regra” sejam produzidos. Uma prova disso é a notícia de que teremos um remake (ou reboot, seja lá o que for) de Spawn, onde alegam que será algo mais fiel aos quadrinhos e menos pipocão, como aquele filme que crescemos assistindo na Tela de Sucessos do SBT.

Que fique claro, não estou recriminando os filmes chamados “para toda a família”. A Marvel está aí nos mostrando que é possível fazer coisas legais para todos os públicos, mas tem determinadas histórias que precisam de cenas mais chocantes, diálogos chulos e personagens “porra louca”, como o do título desse texto. Filmes esses em que a censura tem de ser mínima.

Por toda essa coragem e também por, possivelmente, abrir as portas para futuras produções, encerro meu primeiro texto aqui no site com:

Obrigado Fox, Ryan Reynolds, Tim Miller e os grandes heróis desse filme, os roteiristas! Obrigado por terem culhões de nos presentear um filme tão podre como Deadpool! Estávamos precisando de algo assim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here