Na sexta-feira (01) de Julho, os jogadores brasileiros da organização Luminosity Gaming, do Canadá, oficialmente fizeram a transição para a organização alemã SK Gaming. Tudo estava tranquilo até a quarta-feira dia (06). Os jogadores brasileiros que agora levam o SK Gaming na camisa, foram desclassificados da ELEAGUE, campeonato que vale US$1,4 milhões.

Assine nossa lista de e-mails para ter novidades nerds de alta qualidade, imediatamente, assim que forem postadas

O anúncio da ELEAGUE sobre a desclassicação informou que no regulamento as vagas deste torneio pertencem às equipes e não aos jogadores.  Um dos comissários da ELEAGUE, Min-Sik Ko, afirmou isso em seu Twitter, comunicando que os mesmos não obedeceram às regras. A organização Luminosity Gaming e os ex-jogadores do SK Gaming que estavam jogando pelo time chamado ”Team X” após o contrato rompido, também foram desclassificados.

tay

Mas a treta não acaba por aqui, o que nós achamos mais engraçado foi o fato de que sete equipes, todas da América do Norte, cobraram a exclusão do SK Gaming no torneio, entre elas: OpTic Gaming, Team Liquid, NRG eSports, Team SoloMid, cloud9, Counter Logic Gaming e Echo Fox. Tudo indica que a ELEAGUE iria punir inicialmente o Luminosity Gaming pela transição de jogadores e dar a vaga para os brasileiros no SK Gaming. Mas as equipes que pediram a exclusão dos brasileiros fizeram um tipo de ”chantagem” com a organização do torneio, informando que eles iriam sair do campeonato caso a exclusão não fosse efetuada. Eu citei que quatro dessas organizações americanas tentaram contratar os brasileiros antes do SK Gaming? Bem estranho, né?

Os jogadores brasileiros formam uma das melhores equipes do mundo e estão entre os times que mais faturaram na história do Counter-Strike: Global Offensive. A equipe é composta por Gabriel ”FalleN” Toledo, Fernando ”fer” Alvarenga, Marcelo ”coldzera” David, Lincoln ”fnx” Lau, Epitacio ”TACO” Pessoa e o treinador Wilton ”zews” Prado.

Gabriel ''FalleN'' Toledo jogador do SK Gaming, um ícone no CS:GO (Foto: ELEAGUE http://www.e-league.com/)
Gabriel ”FalleN” Toledo jogador do SK Gaming, um ícone no CS:GO (Foto: ELEAGUE http://www.e-league.com/)

Em seu twitter, o jogador Gabriel ”FalleN” Toledo mostrou sua indignação contra o campeonato. Ele falou que era a primeira vez na história do CS:GO que jogadores são punidos por melhorar e evoluir profissionalmente.

tayyy

Já o jogador  Epitácio “TACO” Pessoa em uma conversa com o Portal X5TV, informou que alguns dias atrás a organização entrou em contato com os jogadores devido a situação e deram a eles uma ”last chance”. Mas dias depois tomaram a decisão de desclassificação.

Epitácio “TACO” Pessoa, jogador brasileiro profissional da equipe SK Gaming
Epitácio “TACO” Pessoa, jogador brasileiro profissional da equipe SK Gaming

Aos comentários de torcedores brasileiros, como nós do Nerdista, essa decisão foi um tanto duvidosa e sem profissionalismo por parte da organização do torneio. Um campeonato com uma premiação tão grande, teria feito essa ”gafe” enorme com medo da petição dos times americanos? Até o momento não temos mais notícias por parte da ELEAGUE, mas nós e todos os torcedores brasileiros esperamos um posicionamento mais profissional por parte da organização e não somente um simples tweet desclassificando um time que proporciona uma enorme audiência para as empresas fora e dentro do Brasil. E é claro, se essa for realmente uma regra do campeonato, imponham ela de forma correta, até porque quando se trata de dinheiro ninguém brinca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here